Caminhada

Olá pessoal! Olha eu novamente aqui, escrevendo! Uhuuullll… Estou me esforçando para manter este espaço ativo, por favor, me mandem boas vibrações para que eu me mantenha motivada! hehe…

Hoje eu queria escrever sobre o inicio do meu processo de auto-consciência, quando comecei a me descobrir e caminhar por este caminho. Eu não me recordo direito o que foi que deu esse START, mas tenho quase certeza que a inspiração veio de alguma leitura que fiz.

A intenção sempre foi boa, a ideia era maravilhosa, mas na minha cabeça eu iria dormir e simplesmente acordar evoluída! hahaha… (influência Pokemon!)…   Mas não é assim né?!  Não é um salto, mas uma caminhada… loooonga caminhada. Por que não acaba, a gente está sempre em movimento, em evolução.

Qualquer evolução é lenta, requer foco, perdão e persistência.
Foco pra estar sempre atento ás atitudes e pensamentos, orai e vigiai sempre!
Perdão para os momentos que o foco falha!
E persistência para não desistir e continuar a caminhar!

Então desde que acordei realmente para o propósito da minha caminhada eu me dei conta de que é devagar que se deve andar mesmo. Quem passa correndo perde a vista, não percebe as sutilezas e não está atento ao caminho. Desde então caminho, lentamente, contando meus passos, observando meu caminho.

Nesse tempo aprendi a falar menos e observar mais, ouvir mais, analisar mais. Aprendi oferecer mais e exigir menos, julgar menos, esperar menos, cobrar menos. A cada dia novos aprendizados acontecem e novas opiniões se formam e outras são abandonadas, é uma metamorfose infinita.
Toda manhã é um recomeço para colocar em prática tudo que fui aprendendo, os erros que vão acontecendo também viram professores junto com a prática da autoconsciência e meditação.

E sabe de uma coisa? Quanto mais a gente aprende e desperta o olhar de auto-análise, mais a gente descobre o quanto somos pequenos e ainda não sabemos. É o entendimento daquela máxima: “tudo que sei é que nada sei”.   Mas é bacana, vale a pena enxergar o mundo do lado de dentro, na parte mais interna, escondida e profunda do Ser. É uma descoberta infinita e mágica, a paciência e a vontade precisam caminhar juntas. Se descobrir é tentar equilibrar a própria energia, é, com certeza, um exercício para a mente e nutrição pra alma.
E eu continuo nessa caminhada, cometendo muitos erros, me distraindo as vezes, pisando fora do caminho, mas sempre mantendo o foco, perdão e persistência, e voltando a caminhar. Isso é o mais importante.

Enxergar com os olhos de fora é ESTAR,
enxergar com os olhos de dentro é SER.

Continue Reading

Vista-se de Felicidade!

18

Deixo aqui registrado que não acredito em definições padrões e únicas para nenhum tipo de sentimento ou sensação, pois não consigo sentir o que tu sente e vice-versa, então isso acaba com o poder de comparação e mensuração do sentimento. Mas existem buscas comuns e opiniões consensuais sobre certos sentimentos.

Pois bem… felicidade… essa busca incessante do homem, o pote de ouro no fim do arco-íris, o topo da pirâmide da vida, o elixir da plenitude. Mas eu te pergunto, será mesmo a felicidade um destino? Um fim de trajeto?
… Eu não acho não.

Penso na felicidade como um sentimento como outro qualquer e logo coloco ela na prateleira dos sentimentos ao lado da tristeza, da angústia, do medo, do entusiasmo, do contentamento, porque acho que felicidade é sentimento de vestir, daqueles que você acorda, pega no cabide e sai pra rua viver!
Não tem palavra mágica que faz surgir, não tem receita de bolo ou tabelinha de rituais que façam alguém feliz. Pra mim, felicidade é roupa da alma. A gente que escolhe ser ou não feliz. Porque tem dia que a gente veste tristeza mesmo, talvez até sem querer, vai no cabide de sentimento e pega o primeiro que vê, sem pensar , e outros dias estamos felizes sem nem saber o motivo, ás vezes pelo mesmo motivo da tristeza – cabide aleatório -.

E tem jeito pra vestir felicidade todo dia então? TEM!
É só pensar! É só tomar consciência das nossas próprias escolhas. Na hora de acordar, abrir os olhos e sorrir, agradecer o dia, a vida! ir ao cabide e ESCOLHER o sentimento que tua alma vai vestir naquele dia, nada de pegar o primeiro que estiver na frente, vista algo especial, sinta-se plena, iluminada, enfeite sua alma!

Se a gente prestasse mais atenção na roupa que vestimos nossa alma, teríamos mais almas belas e flores e gentilezas pelo mundo! Afinal, se todo mundo escolhesse consciente com que sentimento quer vestir pra sair pra vida, acredito que felicidade iria ser aquele pretinho básico de todo dia não é mesmo? Mas tudo é questão de inserir novos hábitos  ~e abandonar antigos~ depois que a gente aprende a se vestir de sentimento bom os cabides se adaptam e crescem o número de bons sentimentos pra vestir, vai por mim! 😉

Melhor que despir a alma é poder escolher com que sentimento vesti-la.

Continue Reading